quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

CARDIOPATIA

   
 
 
O que é?


A incidência de cardiopatia congênita é 8 vezes maior do que a Síndrome de Down.*dados do 38º Congresso Brasileiro de Cardiologia, 2011.
 
 
 
 
 
 

 


Por que dia 12 de junho?
Em vários países do mundo, principalmente no hemisfério Norte o Dia de Conscientização da Cardiopatia Congênita é comemorado no dia 14 de fevereiro, Valentine’s Day. No Brasil já foi adotado como lei em diversas cidades o dia 12 de junho como Dia de Conscientização da Cardiopatia Congênita, o nosso “dia dos corações”.
Em homenagem a todos os portadores de cardiopatia congênita, seus pais, familiares, profissionais envolvidos no tratamento e aqueles que perderam esta difícil batalha pela vida, criamos um símbolo brasileiro para ser usado na semana do 12 junho em todos os eventos que promovam a conscientização da cardiopatia em nosso país.
Já integra o calendário de algumas cidades, como São Paulo, Rio de Janeiro, Campinas (SP), Bauru (SP), Porto Alegre (RS), Londrina (PR), Maringá (PR), Juiz de Fora (MG), Fortaleza (CE), Cuiabá (MT), Várzea Grande (MT), Mogi das Cruzes (SP), entre outras.
Nossa intençao è que o Dia seja instituído nacionalmente a fim de que a população e o poder público conheçam as necessidades das crianças cardiopatas.
Transforme em lei na tua cidade ou estado: envie um email para contato@pequenoscoracoes.com
Objetivos da data
  • Esclarecer sobre as Cardiopatias Congênitas e a importância do diagnóstico precoce; 
  •  
  • Informar sobre a importancia da capacitaçao dos profissionais envolvidos e adoção do exame Ecocardiograma Fetal como rotina no pre-natal de risco – diagnóstico precoce que salva;
  • Discutir junto aos orgaos competentes quais as alternativas mais adequadas para aumentar o numero de diagnósticos precoces ainda na maternidade a fim de diminuir a mortalidade;
  •  
  • Criação de um programa de saúde específico para os cardiopatas.
 


 
 
 
SINTOMAS DA CARDIOPATIA CONGÊNITA
 
Em bebês:
Pontas dos dedos ou os lábios roxos;
Transpiraçao excessiva e cansaço durante as mamadas;
Respiração acelerada enquanto descansa;
Pouco apetite associado a baixo ganho de peso;
Irritação frequente, sem consolo;

Em crianças:
Cansaço em atividades físicas e dificuldade em acompanhar o ritmo dos amigos;
Não cresce e nao ganha peso de forma adequada;
Infecções respiratórias com frequência;
Lábios roxos e a pele mais pálida quando brinca muito;
Coração com ritmo acelerado (taquicardia).


 


Como diagnosticar

As cardiopatias congênitas podem ser descobertas ainda na gestação, a partir do segundo trimestre de gravidez.  Ao realizar o ultrassom morfológico de segundo trimestre, o médico ultrassonografista deve olhar o coração do bebê.  Se algo estiver diferente ele deve solicitar uma ECOCARDIOGRAFIA FETAL.
 
Neste exame um especialista fará um ultrassom específico do coração do feto e dirá se o bebê precisa do acompanhamento de um cardiologista. A ecocardiogragia é também necessária quando as gestantes:
- tem mais de 35 anos de idade.
- já tiveram filhos ou outros familiares com cardiopatia congênita.
- têm diabetes ou lúpus;
- tiveram doenças como toxoplasmose ou rubéola durante a gestação;
- estão esperando gêmeos ou múltiplos;
- apresentaram alteração nos exames de translucência nucal (ultrassom de 12 semanas), de cariótipo ou foi detectada qualquer anormalidade em outro órgão do bebê.
 
O diagnóstico precoce pode salvar a vida da criança, principalmente em cardiopatias mais graves, quando o parto deve ser planejado e a criança precisa ser operada nos primeiros dias de vida.
 
Caso o diagnóstico não tenha sido feito na gestação é essencial que o pediatra que acompanha o recém-nascido e a família fiquem atentos e procurem um cardiologista pediátrico caso percebam sintomas ou haja alteração na asculta do coração. Somente o cardiologista poderá dizer exatamente quais cuidados são necessários e como deverá ser o tratamento.
 

 
 


 
 
Teste do Coraçãozinho
 
A AACC Pequenos Corações sai à frente, novamente, com um novo projeto para que a cardiopatia congênita se torne cada vez mais conhecida em todo Brasil e para que mais vidas possam ser salvas. Atualmente, somente 38% das crianças portadoras de cardiopatia congênita têm atendimento no Brasil. Muitas destas crianças não atendidas falecem, sem nem ao menos terem recebido um diagnóstico a tempo de poderem ser tratadas.
 
A nossa intenção é que com o Dia de Conscientização da Cardiopatia Congênita e, agora, com o Teste do Coraçãozinho mais crianças possam ser tratadas, crescer e ter uma vida plena e feliz, como qualquer criança merece.
 
Para isso, já iniciamos os pedidos de projeto de lei para que este exame se torne obrigatório no Brasil. O primeiro passo já foi dado na cidade de São Paulo. O Projeto de Lei tornando obrigatório o "Teste do Coraçãozinho" foi protocolado na cidade de São Paulo no dia 01.09.2011, pelo Vereador Esliseu Gabriel. Estamos divulgando e mais 24 cidades já aderiram, sendo que 15 já protocolaram os seus Projetos de Lei!! Vamos divulgar para mais cidades e estados aderirem ao teste, ajudando assim a salvar muitas vidas!
 
 Teste do Coraçãozinho - um teste simples, indolor e não invasivo que pode salvar vidas! Vamos divulgar e nos manifestar para que mais cidades e estados brasileiros adotem o teste como obrigatório nas maternidades, antes da alta do bebê!
 
 

 
 

Um comentário: